Agricultura, florestas e outros usos da terra no Brasil: elementos para conhecer a metodologia de classificação e seu perfil de emissões de gases de efeito estufa no período 1990 – 2019

Autores

DOI:

https://doi.org/10.7769/gesec.v14i11.3151

Palavras-chave:

Agricultura, Floresta e Outros Usos da Terra (AFOLU), Emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE), Agropecuária, Mudança de Uso da Terra, Amazônia

Resumo

O presente artigo tem um objetivo duplo: de um lado, apresentar o conceito e a metodologia que permitem o acompanhamento desse conjunto específico de setores sob o acrônimo AFOLU – Agricultura, Florestas e Outros Usos da Terra – e, de outro, compreender a dinâmica da evolução do perfil das emissões brasileiras de gases de efeito estufa (GEE) para os setores-chave da economia brasileira. São eles os setores da Agricultura, Florestas e Mudança de Uso da Terra (esses setores, a partir de uma perspectiva histórica quali-quantitativa, para o período para o qual existem dados disponíveis, ou seja, para o intervalo entre 1990 e 2019. A literatura especializada consultada e o levantamento e a organização dos dados permitem entender que a trajetória das emissões de GEE brasileiras não é linear, tendo passado por períodos de alta e baixa nas emissões, comportamentos que encontram explicações em ações de políticas públicas, em particular, voltadas a conter o desmatamento e aos ciclos econômicos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALBUQUERQUE, I. et al. Análise das emissões brasileiras de gases de efeito estufa e suas implicações para as metas de clima do Brasil (1970-2019). Documento síntese, SEGG, Observatório do Clima, 2020. Disponível em: https://seeg br.s3.amazonaws.com/Documentos%20Analiticos/SEEG_8/SEEG8_DOC_ANALITICO_SI NTESE_1990-2019.pdf. Acesso em: dez. 2020.

ANGELO, C.; RITTL, C. Análise das emissões brasileiras de gases de efeito estufa e suas implicações para as metas do Brasil (1970-2018). Documento síntese, SEGG, Observatório do Clima, 2019. Disponível em: http://www.observatoriodoclima.eco.br/wpcontent/uploads/2019/11/OC_SEEG_Relatorio_20 19pdf.pdf. Acesso em: abr. 2020.

AZEVEDO, T. N. Efeito da expansão do cultivo de cana-de-açúcar na composição da paisagem do estado de São Paulo. 2013. 79 p. Dissertação (Mestrado em Ecologia) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013.

AZEVEDO, T. Análise das emissões de GEE do Brasil (1970 - 2014) e suas implicações para políticas públicas e a contribuição brasileira para o Acordo de Paris. Documento síntese, SEGG, Observatório do Clima, 2016. Disponível em: http://seeg.eco.br/wp-content/uploads/2016/09/FINAL-16-09-23-RelatoriosSEEGPIUP_.pdf. Acesso em: 20 out. 2020.

AZEVEDO, T. et al. Impacto da pandemia de Covid-19 nas emissões de gases de efeito estufa no Brasil. Nota Técnica, SEEG, Observatório do Clima, 2020. Disponível em: http://www.observatoriodoclima.eco.br/wpcontent/uploads/2020/05/OC_notatecnica_FINAL.pdf. Acesso em: maio 2020.

BARRETO, P. Pressão humana na floresta amazônica brasileira. Relatório, Imazon, Global Florest Watch, WRI, 2005. Disponível em: https://imazon.org.br/pressao-humana-na-florestaamazonicabrasileira/. Acesso em: dez. 2019.

BRANDÃO JR, A. et al. Emissões de GEE do setor de Mudança de Uso da Terra. Documento de análise, SEEG, Observatório do Clima, Imazon, IPAM, 2018. Disponível em: http://www.observatoriodoclima.eco.br/wp-content/uploads/2018/05/Relato%CC%81rios-SEEG-2018-MUT-Final-v1.pdf. Acesso em: fev. 2020.

BRANDÃO JR, A.; BARRETO, P. Emissões de GEE do setor de Mudança de Uso da Terra. Documento de análise, SEEG, Observatório do Clima, Imazon, 2016. Disponível em: https://imazon.org.br/PDFimazon/Portugues/livros/RelatorioSEEG-MUT_1990-2014.pdf. Acesso em: nov. 2019.

BRASIL. Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. A taxa consolidada de desmatamento por corte raso para os nove estados da Amazônia Legal (AC, AM, AP, MA, MT, PA, RO, RR e TO) em 2019 é de 10.129 km2. 2020. Disponível em: http://www.inpe.br/noticias/noticia.php?Cod_Noticia=5465. Acesso em: jul. 2020.

BRASIL. Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. (org.). Modelagem setorial de opções de baixo carbono para Agricultura, Floresta e Outros Usos do Solo (AFOLU). In: RATHMANN, R. Opções de mitigação de emissões de gases de efeito estufa em setores-chave do Brasil. 2016. Disponível em: https://csr.ufmg.br/csr/wp-content/uploads/2018/01/Setor-AFOLU.pdf. Acesso em: out. 2019.

BRASIL. Rio de Janeiro. Inventário das emissões de gases de efeito estufa da cidade do Rio de Janeiro em 2012 e atualização do Plano de Ação Municipal para Redução das Emissões, 2013. 2013. Disponível em: http://www.rio.rj.gov.br/dlstatic/10112/1712030/4114528/CRJ_InventarioGEE2012_ resumo_ tecnicoPORTUGU ESFINAL.pdf. Acesso em: jan. 2020.

CASTRO, E. Dinâmica socioeconômica e desmatamento na Amazônia. Novos Cadernos NAEA, Belém, v. 8, n. 2, p. 5-39, 2005. Disponível em: https://periodicos.ufpa.br/index.php/ncn/article/view/51/53. Acesso em: fev. 2020. DOI: https://doi.org/10.5801/ncn.v8i2.51

CIOCCARI D.; PERSICHETTI, S. O Brasil agrário: o conservadorismo e a direita na bancada ruralista. Em Tese, Florianópolis, v. 17, n. 1, p. 07-32, 2020. Disponível em: file:///C:/Users/debor/Downloads/58414-246943-3-PB.pdf. Acesso em: jul. 2020. DOI: https://doi.org/10.5007/1806-5023.2020v17n1p7

COSTA, C. G. F. Implicações geopolíticas e governança ambiental na regulamentação da INDC brasileira. Boletim Goiano de Geografia, Goiânia, v. 36, n. 1, p. 125-140, 2016. Disponível em: https://revistas.ufg.br/bgg/article/view/40373/20628. Acesso em: ago. 2019. DOI: https://doi.org/10.5216/bgg.v36i1.40373

DEAN, W. A ferro e fogo: a história e a devastação da Mata Atlântica brasileira. 1. ed. São Paulo: Cia das Letras, 2004.

FAOSTAT. Food and Agriculture Organization of the United Nations. FAOSTAT Database. 2020. Disponível em: http://faostat.fao.org/. Acesso em: fev. 2020.

IBF. Instituto Brasileiro de Florestas. (org.). Bioma Mata Atlântica. 2020. Disponível em: https://www.ibflorestas.org.br/bioma-mata-atlantica. Acesso em: nov. 2019.

LEIP, A.; CARMONA-GARCIA, A.; ROSSI, S. Mitigation measures in the Agriculture, Forestry, and Other Land Use (AFOLU) sector: quantifying mitigation effects at the farm level and in national greenhouse gas inventories. European Union: European Commission, 2017.

MARGULIS, S. Causas do Desmatamento da Amazônia Brasileira. Brasília: Banco Mundial, 2003. Disponível em: http://www.terrabrasilis.org.br/ecotecadigital/pdf/causas-do-desmatamento-da-amazonia-brasileira.pdf. Acesso em: jan. 2020.

MARQUES, L. Capitalismo e colapso ambiental. 3. ed. Campinas: Editora Unicamp, 2018. DOI: https://doi.org/10.7476/9788526815032

MORAES, A. C. R. Notas sobre formação territorial e políticas ambientais no Brasil. Revista Território, Rio de Janeiro, v. 4, n. 7, p. 43-50, 1999. Disponível em: http://www.laget.eco.br/pdf/07_4_moraes.pdf. Acesso em: out. 2019.

PRADHAN, B. B.; CHAICHALOEMPREECHA, A.; LIMMEECHOKCHAI, B. GHG mitigation in Agriculture, Forestry and Other Land Use (AFOLU) sector in Thailand. Carbon Balance and Management, London, v. 14, n. 3, p. 1-17, 2019. Disponível em: https://cbmjournal.biomedcentral.com/articles/10.1186/s13021-019-0119-7. Acesso em: jan. 2020. DOI: https://doi.org/10.1186/s13021-019-0119-7

RAMALHO, A.; OMETTO, J. Emissões do setor de Agropecuária. Documento de análise, SEEG, Observatório do Clima, Imaflora, 2018. Disponível em: http://70.32.72.113/downloads/biblioteca/Relatorios_SEEG_2018-Agro_Final_v1.pdf. Acesso em: mar. 2020.

RUSSO, G. et al. Cerrado: A contribuição da savana brasileira para emissões de GEE e soluções climáticas. IPAM, 2018. Disponível em: https://ipam.org.br/wp-content/uploads/2018/12/Policy-Brief-Cerrado-COP24-pt.pdf. Acesso em: nov. 2019.

SEEG. Sistema de Estimativa de Gases de Efeito Estufa. Base de Dados de Emissões. 2020. Disponível em: http://seeg.eco.br/. Acesso em: mar. 2020.

SMITH, P. et al. Agriculture, Forestry and Other Land Use (AFOLU). In: EDENHOFER, O. R. (org.). Climate Change 2014: Mitigation of Climate Change. Contribution of Working Group III to the Fifth Assessment Report of the Intergovernmental Panel on Climate Change. Cambridge: Cambridge University Press, 2014.

SOUZA, M.C.O. et al. Covid-19 - Mudanças Climáticas: o caso no Brasil. Boletim Covid-19 – DPCT/IG, n.°13, 2020.

SOUZA, M. C. O. Mudanças climáticas e energia: um estudo sobre contribuições brasileiras diante de um novo regime climático. 2017. 215 p. Programa de Pós-Graduação em Política Científica e Tecnológica. (Tese de Doutorado) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2017.

STOKEY, N. Are There Limits to Growth? International Economic Review, Pennsylvania, v. 39, n. 1, p. 1-31, 1998. Disponível em: https://www.jstor.org/stable/2527228?seq=1. Acesso em: jun. 2020. DOI: https://doi.org/10.2307/2527228

Downloads

Publicado

2023-11-14

Como Citar

Naidhig, D., Souza, M. C. O., & Corazza, R. I. (2023). Agricultura, florestas e outros usos da terra no Brasil: elementos para conhecer a metodologia de classificação e seu perfil de emissões de gases de efeito estufa no período 1990 – 2019. Revista De Gestão E Secretariado, 14(11), 19753–19773. https://doi.org/10.7769/gesec.v14i11.3151