Plano municipal de saneamento básico de Cerro Largo/RS: avaliação da gestão de resíduos e proposição de melhorias ambientais

Autores

  • Jaqueline Steffler Leobett
  • Jéssica Piovesan Bertolo
  • Liliane Hellmann
  • Alcione Aparecida de Almeida Alves
  • Aline Raquel Müller Tones

DOI:

https://doi.org/10.7769/gesec.v14i11.2814

Palavras-chave:

Resíduos Sólidos, Gerenciamento, Saneamento Básico, Manejo

Resumo

De forma a considerar as exigências impostas pela Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), instituída pela Lei Federal nº 12.305/2010, e pela Lei Federal de Saneamento Básico, instituída pela Lei nº 11.445/2007, destaca-se como instrumento de gestão para os resíduos sólidos urbanos (RSU) a elaboração do Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos (PMGIRS) o qual deve estar contido no Plano Municipal de Saneamento Básico (PMSB), para municípios com população inferior a 20.000 habitantes. Dada a relevância e exigência legal, o objetivo do estudo baseia-se na revisão do antigo (2012) e atual (2022) PMSB do município de Cerro Largo/RS, para de verificar o atendimento ao conteúdo mínimo exigido pela PNRS, pelo Decreto Federal nº 7.404/2010 e pela Lei Federal nº 14.026/2020, a fim de comparar o avanço nesse período e propor melhorias conforme as modificações ambientais, sociais e legislação vigente. Utilizou-se os PMSB do município de Cerro Largo/RS para a coleta dos dados. A partir das análises verificou-se que o PMSB (2012) possui muitos itens que não atendem ao conteúdo mínimo da Legislação, sendo 48,2% em relação ao PMSB e 28,6% em relação ao PMSGIRS. A análise do PMSB (2022) também revelou inconformidades com a Legislação, sendo 33,3% relacionados ao PMSB e 5,3% relacionadas ao PMSGIRS, demonstrando uma carência de diagnósticos para questões futuras, como o crescimento populacional e o saneamento básico municipal. Estudos como este contribuem no conhecimento da realidade dos PMSB dos municípios brasileiros e torna possível a identificação de melhorias necessárias no saneamento básico municipal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABNT, Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 10004 (2004). Esta Norma classifica os resíduos sólidos quanto aos seus potenciais ao meio ambiente e à saúde pública, para que possam ser gerenciados adequadamente. Rio de Janeiro, 2004.

Alvarenga, A. D; Silve, A. A.; Salgado, P. E. G. (2023). A tomada de decisão na gestão de resíduos sólidos de municípios pequenos brasileiros. Revista Gestão e Secretariado (GeSec), SãoPaulo v. 14, n.8, p. 14218-14240. https://ojs.revistagesec.org.br/secretariado/article/view/1654/1520 DOI: https://doi.org/10.7769/gesec.v14i8.1654

Amaro, A. Y. G; Silva, Â. M; Mustafá, A. M. M; Costa, C. S; Mortoza, A, R; Oliveira, I. B. B. (2018). A importância de uma boa gestão de resíduos sólidos. Facit Business And Technology Journal, Lllll, v. 2, n. 8, p. 45-52.

Baracho, R. O. (2015) Análise e Avaliação de Planos Municipais de Saneamento Básico no Paraná: um estudo de caso em cinco cidades. 82 f. TCC (Graduação) - Curso de Curso de Engenharia Ambiental, Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Londrina.

Barbosa, J. O.; Moura, G. G. (2020). A relação de limpeza urbana e qualidade ambiental: um estudo sobre as condições de limpeza urbana no bairro nova Ituiutaba/MG. Caminhos de Geografia, v. 21, n. 73, p. 399-414. https://doi.org/10.14393/RCG217348613 DOI: https://doi.org/10.14393/RCG217348613

Bonifácio, G.; Guimarães, R. (2021). Projeções populacionais por idade e sexo para o Brasil até 2100. Rio de Janeiro, 2021. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada – IPEA. https://repositorio.ipea.gov.br/handle/11058/10889 DOI: https://doi.org/10.38116/td2698

Brasil, Lei nº 11.445, de 05 de janeiro de 2007. Estabelece as diretrizes nacionais para o saneamento básico; cria o Comitê Interministerial de Saneamento Básico e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 2007.

Brasil, Lei nº 12.305, de 02 de agosto de 2010. Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a Lei no 9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 2010a.

Brasil. DECRETO nº 10.936, de 12 de Janeiro de 2022. Regulamenta a Lei nº 12.305, de 2 de agosto de 2010, que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos. Rio de Janeiro, 2022.

Brasil. Decreto nº 7.404 de 23 de dezembro de 2010. Regulamenta a Lei nº 12.305, de 2 de agosto de 2010, que institui a Política Nacional dos Resíduos Sólidos, cria o comitê interministerial da Política nacional de resíduos sólidos e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 2010b.

Brasil. Lei nº 14.026, 15 de julho de 2020. Atualiza o marco legal do saneamento básico e das outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 2020.

Brasil. Resolução nº 75, de 02 de julho de 2009. Estabelece orientações relativas à Política de Saneamento Básico e ao conteúdo mínimo dos Planos de Saneamento Básico. Ministério das Cidades Conselho das Cidades.

CEMPRE. Compromisso Empresarial para Reciclagem. (2018) Pesquisa Ciclosoft 2018: Radiografando a Coleta Seletiva. 2018. https://cempre.org.br/pesquisa-ciclosoft/

CNM. Confederação Nacional de Municípios. (2014). Planos Municipais de Saneamento Básico: Orientações para elaboração, 56 páginas, ISBN 978-85-99129-98-2. https://encurtador.com.br/fnuMZ

França, J. C. R; Arantes, D. F. (2019). Roteirização através do SIG para coleta de lixo doméstico: estudo de caso da cidade de Silvânia - GO. 2019. 100 f. TCC (Graduação) - Curso de Engenharia de Transportes, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás, Silvânia - Goiás, 2019.

Franco, D. G. B.; Steiner, M. T. A. (2022). Otimização do transporte de resíduos sólidos urbanos no Estado do Paraná: repensando a localização de aterros sanitários com base em modelagem matemática. Engenharia Sanitária e Ambiental, v. 27, n. 5, p. 987-993. https://doi.org/10.1590/S1413-415220210282. DOI: https://doi.org/10.1590/s1413-415220210282

FUNASA. Fundação Nacional de Saúde. Manual de Orientações Técnicas para Elaboração de Propostas para o Programa de Resíduos Sólidos - Funasa. Brasília: 2014. 44 p. http://www.funasa.gov.br/web/guest/publicacoes.

Goldschmidt, D. A; Alles, L. S. D.; Hoffmann, R. G. (2022). Plano Municipal de Saneamento Básico 2022: Relatório Técnico Final. Prefeitura Municipal de Cerro Largo.

Heidari, R.; Yazdanparast, R.; Jabbarzadeh, A. (2019). Sustainable design of a municipal solid waste management system considering waste separators: a real-world application. Sustainable Cities and Society, v. 47, p. 101457, 2019. https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S2210670718315889?via%3Dihub. DOI: https://doi.org/10.1016/j.scs.2019.101457

Helrigle, H. K. G. L.; Ferri, K. C. F. (2019). Disposição Inadequada de Resíduos Sólidos no perímetro urbano de Caiapônia-GO e sua associação com a dengue. Caiapônia, 2019. Itinerarius Reflectionis. https://doi.org/10.5216/rir.v15i3.59669 DOI: https://doi.org/10.5216/rir.v15i3.59669

IBAMA. Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis, Ministério do Meio Ambiente. (2022). Consulta. https://encurtador.com.br/xFGOU.

IBGE. Instituto brasileiro de geografia e estatística. (2022a). Censo demográfico.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2022b). Panorama do censo.

Kaza, S; Yao, L; Bhada-Tata, P; Woerden, F. V. (2018). What a Waste 2.0: A Global Snapshot of Solid Waste Management by 2050. World Bank, Washington, 2018. DOI: https://doi.org/10.1596/978-1-4648-1329-0

Marotti, A. C. B.; Santiago, C. D.; Pugliesi, E. Aplicação de instrumento para avaliação de Planos municipais de gestão integrada de resíduos sólidos ante as políticas públicas: estudo de caso do município de rio claro (SP). Desenvolvimento e Meio Ambiente, v. 41, p. 191-214, 2017. https://revistas.ufpr.br/made/article/view/46020 DOI: https://doi.org/10.5380/dma.v41i0.46020

Ministério da Saúde; FUNASA. (2012). Termo de Referência para elaboração de Planos Municipais de Saneamento Básico: procedimentos relativos ao convênio de cooperação técnica e financeira da Fundação Nacional de Saúde - FUNASA/MS. Brasília: 2012. 68 p.

Ministério das Cidades; Ministério do Meio Ambiente; Banco do Brasil. (2013) Gestão integrada de resíduos sólidos. Brasília: 2013. 20 p.

Oliveira, L. F.; Wartchow, D.; Silva, S. W. (2023). Proposição de modelo para estimativa de custos de coleta de resíduos sólidos domiciliares em pequenos municípios do estado do Rio Grande do Sul. Engenharia Sanitária e Ambiental, v. 28, p. 1-1. (SciELO). https://doi.org/10.1590/S1413-415220210343 DOI: https://doi.org/10.1590/s1413-415220210343

Oliveira, M. A. S. De; Miranda, M. G. (2019). Lixo e os Problemas Ambientais. LexCult: Revista Eletrônica de Direito e Humanidades, v. 3, n. 2, p. 125-146, out. 2019. ISSN 2594-8261. http://lexcultccjf.trf2.jus.br/index.php/LexCult/article/view/267 DOI: https://doi.org/10.30749/2594-8261.v3n2p125-146

Prasetyo, R. B.; Halimatusa’diah, Bramley, H.; Rizal, M.; Cahyani, N.; Maharani, P. O.; Ramadan, R.; Putri, R. M.; Supriyadi, S.; Damayanti, V. (2023). Provision of Trash Cans to Improve a Clean and Healthy Environment in Srimukti Village. Jurnal Pengabdian Masyarakat Bestari, 2(7), 527–536. https://doi.org/10.55927/jpmb.v2i7.4943 DOI: https://doi.org/10.55927/jpmb.v2i7.4943

Pena, R. T. R.; Dias, R. M.; Seabra, L. (2022). O. Roteirização da coleta seletiva com o uso de sistemas de informações geográficas: estudo de caso em um município de pequeno porte demográfico. Revista Eletrônica do Curso de Geografia, Goiás, v. 1, n. 42, p. 51-70, abr. 2022. https://revistas.ufj.edu.br/geoambiente/article/view/70231.

Pinheiro, N. C. A.; Mochel, F. R. (2018). Diagnóstico de áreas contaminadas pela disposição final de resíduos sólidos no município de Paço do Lumiar (MA). Engenharia Sanitária e Ambiental, v. 23, n. 6, p. 1173-1184, dez. 2018. https://doi.org/10.1590/S1413-41522018173619. DOI: https://doi.org/10.1590/s1413-41522018173619

Prefeitura Municipal De Cerro Largo. (2012). Plano Municipal de Saneamento Básico: Relatório Técnico Final. Estado do Rio Grande do Sul.

Salvador, R. M.; Cunha, P. R.; Soares, C.; Salvador D. M.; Soares, J. G.; Salvador, R. S.; Boabaid, R.; Morales, N. H. M. (2019). Revisão do Plano Municipal de Saneamento Básico de São José/SC, p. 167. Prefeitura Municipal de São José/SC.

Santana, I. C. (2016). Análise dos Impactos Ambientais causados pelos Resíduos Sólidos de Construção e demolição em Conceição Do Almeida/BA. 58 f. TCC (Graduação) - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, Cruz das Almas - Ba, 2016.

Santiago, G. et al. (2019). Panorama of the Municipal Sanitation Plan of Santo Antônio do Rio Abaixo, Minas Gerais. Pesquisa, Sociedade e Desenvolvimento, v. 8, n. 3. 10.33448/rsd-v8i3.846. DOI: https://doi.org/10.33448/rsd-v8i3.846

Santin, J. R. et al. A Política Nacional dos Resíduos Sólidos e os Municípios Brasileiros. Revista de Direito da Cidade, v. 9, n. 2, p. 556-581, 26 abr. 2017. Universidade de Estado do Rio de Janeiro. https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/rdc/article/view/26985 DOI: https://doi.org/10.12957/rdc.2017.26985

Silva, D. C. da C.; Nery, L. M.; Simonetti, V. C. (2023). Gestão espacial das rotas de coleta de material reciclável com suporte de SIG e indicadores de produtividade. Revista Tecnologia e Sociedade v. 19, n. 55, p 366 – 386. https://periodicos.utfpr.edu.br/rts/article/view/15340/9262

Silva, L. A.; Farias, G. B. L.; Lima, A. S. (2019). Gerenciamento de resíduos sólidos municipais: uma análise da distribuição espacial de lixeiras nas vias públicas em Bragança-´PA. Instituto Brasileiro de Estudos Ambientais. Fortaleza/CE. DOI: https://doi.org/10.29327/53330

Silva, P. F. D.; Teixeira, B. A. N. (2016). Avaliação da coleta seletiva no Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos de Barreiras – BA. 2016. Revista Nacional de Gerenciamento de Cidades, v. 04, n. 25, pp. 114-127. DOI: https://doi.org/10.17271/2318847242520161337

Silva, T. C. N. (2022). Processo de avaliação dos Planos municipais de saneamento básico de municípios do Noroeste Rio-Grandense. 163 f. Dissertação (Mestrado) - Programa de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia Ambiental, UFSM, Frederico Westphalen, 2022.

Tenorio, V. G.; Malheiros, T. F. (2020). Gestão Integrada da Coleta Seletiva – uma proposta para o município de bom jesus dos perdões/sp. Momentum, Atibaia, v. 1, n. 18, p. 1-28. DOI: https://doi.org/10.17648/1678-0795.momentum-v18n18-283

Woldometer. Estatísticas do Mundo em tempo real. 2022. Disponível em: https://www.worldometers.info/br/.

Ziraba, A. K.; Haregu, T. N.; Mberu, B. (2016). A review and framework for understanding the potential impact of poor solid waste management on health in developing countries. Archives Of Public Health. Springer Science and Business Media LLC. v. 74, n. 1, p. 2-11. DOI: https://doi.org/10.1186/s13690-016-0166-4

Downloads

Publicado

2023-11-14

Como Citar

Leobett, J. S., Bertolo, J. P., Hellmann, L., Alves, A. A. de A., & Tones, A. R. M. (2023). Plano municipal de saneamento básico de Cerro Largo/RS: avaliação da gestão de resíduos e proposição de melhorias ambientais. Revista De Gestão E Secretariado, 14(11), 19859–19877. https://doi.org/10.7769/gesec.v14i11.2814

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)