Marketing digital na feira de Caruaru/PE: mapeamento das ações estratégicas utilizadas pelos feirantes do segmento de confecções

Autores

DOI:

https://doi.org/10.7769/gesec.v14i5.2175

Palavras-chave:

Marketing Digital, Feira de Caruaru, Ações Estratégicas

Resumo

A inserção digital de pequenas empresas e organizações que pretendem se desenvolver no ambiente on-line necessita de ações e estratégias definidas de marketing digital para alcançarem seus objetivos. Este estudo tem como objetivo realizar uma análise das principais ações estratégias de marketing digital utilizadas pelos feirantes do setor confeccionista da Feira de Caruaru, em Pernambuco, segmento popularmente conhecido como Feira da Sulanca. Quanto a metodologia aplicada, este trabalho foi desenvolvido a partir de uma pesquisa quantitativa de ordem exploratória-descritiva no qual os dados foram coletados por meio de aplicação de questionário junto ao público-alvo no ambiente da Feira. Além disso, notou-se que algumas estratégias acessíveis e com potencial de usabilidade como, por exemplo, a promoção a partir do marketing de busca e do marketing de conteúdo em mídias sociais, são subutilizadas pelas organizações.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Burnett, A. (2013). A “saga” dos retalheiros: um estudo sobre a instituição da feira da Sulanca no agreste pernambucano. Revista de Ciências Sociais, 3(2), 09-40. DOI: https://doi.org/10.5902/2236672512791

Burnett, A. (2014). O “ponto de mutação” da Sulanca no Agreste de Pernambuco. História Oral, 17(2), 153-171.

Chaffey, D., & Smith, P. R. (2013). E-marketing excellence: planning and optimizing your digital marketing. New York: Routledge. DOI: https://doi.org/10.4324/9780203082812

Cobra, M., & Brezzo, R. (2010). O novo marketing. Rio de Janeiro. Editora Elsevier.

Duran, F. (2017). Benefícios do marketing digital. Disponível em: https://hubify.com.br/marketing-digital/beneficios-do-marketing-digital/#:~:text=Um%20dos%20maiores%20benef%C3%ADcios%20do,para%20inter. Acesso em 26 de out. 2022.

Faustino, P. (2020). Marketing Digital na Prática. Lisboa: Marcador.

Gabriel, M. (2010). Marketing na era digital: conceitos, plataformas e estratégias. São Paulo: Novatec.

Gil, A. C. (2008). Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. São Paulo: Atlas.

Hanelt, A., Piccinini, E., Gregory, R. W., Hildebrandt, B., & Kolbe, L. M. (2020). Digital transformation of primarily physical industries-exploring the impact of digital trends on business models of automobile manufacturers. International Conference on Wirtschaftsinformatik, Osnabrück, Germany

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística –IBGE. (2019). Panorama censitário 2010 a 2018. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pe/caruaru/panorama. Acesso em: 23 de jul. 2022.

Kannan, P, K., & Li, H. (2017). A Digital Marketing: A framework, review and research Agenda. International Journal of Research in Marketing. 34, 22-45. DOI: https://doi.org/10.1016/j.ijresmar.2016.11.006

Kingsnorth, S. (2016). Digital marketing strategy: an integrated approach to online marketing. Philadelphia, PA: Kogan Page.

Kotler, P., Kartajava, H., & Setiawan, I. (2017). Marketing 4.0. Rio de Janeiro: Sextante.

Lanzolla, G., Lorenz, A., Miron-Spektor, E., Schilling, M., Solinas, G., & Tucci, C.L. (2020).

Transformação digital: o que há de novo? Padrões emergentes e gerenciamento pesquisa.

Leefmans, C. G. L, Rogel, R. M. N., & Leon, M. A. T. (2016). Digital Marketing in an Emerging Country: Exploratory Study of the Marketing Mix of SMES with Trust Seal. Revista Brasileira de Marketing.

Macedo, T. M. (2014). Métricas de marketing digital e sua aplicação na gestão das ações de marketing das organizações: estudos de casos múltiplos. Dissertação (Mestrado em Administração de Empresas) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS, Porto Alegre.

Machado, R. O. (2018). Marketing Digital: análise das principais estratégias usadas no comércio eletrônico brasileiro. Revista Eletrônica de Administração e Turismo, 12(7), 1692-1712. DOI: https://doi.org/10.15210/reat.v12i7.13477

Marconi, M. A., & Lakatos, E. M. (2003). Fundamentos de metodologia científica. São Paulo: Atlas.

Marinho, B. (2019). Qual é a História do Marketing Digital? Disponível em: http://marketingemidiassociais.com.br/blog/qual-e-a-historia-do-marketing-digital/. Acessado em 01 de ago, 2022.

Marques, V. (2021). Marketing Digital de A a Z. Braga: Digital 360.

Peçanha, V. (2018). O que é Marketing Digital? Disponível em: https://www.marketinddeconteudo.com/marketing-digital/ . Acessado em 12 ago. 2022.

Peçanha, V. (2019). O que é marketing digital? Entenda o conceito e aprenda agora mesmo como fazer! Disponível em: https://rockcontent.com/blog/marketing-digital/. Acesso em: 25 de jul, 2019.

Peter, M., Kraft, C., & Lindeque, J. (2020). Strategic action fields of digital transformation: An exploration of the strategic action fields of Swiss SMEs and large enterprises. Journal of Strategy and Management, 13(1), 160-180. doi:10.1108/JSMA-05-2019-0070 DOI: https://doi.org/10.1108/JSMA-05-2019-0070

Rez, R. (2016). Marketing de conteúdo: a moeda do século XXI. São Paulo: DVS Editora.

Richardson, R. J. (2012). Pesquisa social: métodos e técnicas. São Paulo: Atlas.

Rigo, L. C. (2022). Sociedade de controle e redes sociais na internet: #saúde e #corpo no Instagram. Disponível em https://www.scielo.br/j/mov/a/t6BTk4gr9XH9Z3BwLrwMMyp/?lang=pt. Acessado em 13 de jan. 2022.

Ryan, D., & Jones, C. (2009). Understanding digital marketing: marketing strategies for engaging the digital generation. London. Kogan Page.

Sá, M. (2015). Os filhos das feiras e o campo de negócios agreste. Tese (Doutorado em Sociologia). Instituto de Ciências Sociais. Universidade do Minho.

Saarikko, T., Westergren, U. H., & Blomquist, T. (2020). Digital transformation: Five recommendations for the digitally conscious firm. Business Horizons, 63(6), 825-839. DOI: https://doi.org/10.1016/j.bushor.2020.07.005

Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas -SEBRAE. (2013). Relatório final: Estudo econômico do arranjo produtivo local de confecções do Agreste Pernambuco. Recife: Sebrae.

Sheth, J. N., Eshghi, A., & Krishnan, B. (2002). Marketing na Internet. Porto Alegre: Bookman.

Singh, A., & Hess, T. (2017). How chief digital officers promote the digital transformation of their companies. MIS Quarterly Executive, 16(1), 1-17.

Stokes, R. (2013). eMarketing: the essential guide to marketing in a digital word. Cape Town: Quirk Education.

Taiminem, H. M., & Karjaluoto, H. (2015). The usage of digital marketing channels in SMEs. Journal of Small Business and Enterprise Development, 22(4), 633-651. DOI: https://doi.org/10.1108/JSBED-05-2013-0073

Torres, C. (2009). A bíblia do marketing digital. São Paulo: Novatec.

Torres, C. (2012). Marketing digital: como influenciar o consumidor no meio virtual. GV Executivo, 11(2), 58-61. DOI: https://doi.org/10.12660/gvexec.v11n2.2012.22461

Vaz, C. A. (2011). Os 8 Ps do Marketing Digital: o seu guia estratégico de marketing digital. São Paulo. Novatec.

Vaz, C. A. Google Marketing. 2. ed. São Paulo: Novatec, 2008.

We Are Social. (2019). Digital 2019: Global Internet Use Accelerates. Disponível em: https://wearesocial.com/blog/2019/01/digital-2019-global-internet-use-accelerates. Acessado em 13 de jan. 2022.

Zanatta, M. S. (2016). Quando o fabrico se torna fábrica: desdobramentos do processo de formalização dos empreendimentos industriais de confecções em Caruaru/PE. Tese de Doutorado em Sociologia. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

Zomorodian, S., & Lu, Y. (2019). How social media increase selling trend in clothes industry? (Case study: selling brand clothes named Cotton in Iran via Instagram). Revista Gestão & Tecnologia, 16 páginas. DOI: https://doi.org/10.20397/2177-6652/2019.v19i1.1537

Downloads

Publicado

2023-05-19

Como Citar

Andrade, T. da S., Magalhães, N. M. M., Damascena, E. O., & Soares, N. da S. (2023). Marketing digital na feira de Caruaru/PE: mapeamento das ações estratégicas utilizadas pelos feirantes do segmento de confecções. Revista De Gestão E Secretariado, 14(5), 8018–8040. https://doi.org/10.7769/gesec.v14i5.2175