Mercado interno brasileiro de carne bovina (2011-2019)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.7769/gesec.v14i5.2149

Palavras-chave:

Elasticidade, Margem de Preços, Relação de Preços

Resumo

Este artigo teve como objetivo geral analisar a margem de preços e o principal fator que influencia na diferença de preços. Como objetivo específico foi analisado a correlação entre os preços e identificado a elasticidade de preços entre os estados produtores e consumidores de carne bovina. Foram utilizados dados de preços (período de 2011 a 2019) coletados na base de dados da Agrolink. Como resultado, identificou se que o estado de Minas Gerais foi o que apresentou a maior alta de preços e a maior intervenção nos estados ofertantes com as maiores elasticidades estimadas encontradas. Os meses de preços elevados foram de novembro a dezembro e os menores preços encontrados nos meses de maio a agosto. O estado de Goiás foi o que apresentou a maior convergência e a menor interferência de preços para os estados demandantes. Todos os estados apresentaram correlação positiva forte entre os preços. Conclui-se que existem interferências entre os estados considerados por esta pesquisa como ofertantes e demandantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes (ABIEC). Perfil da Pecuária no Brasil. Relatório anual, 2018. Disponível em: <https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/4392168/mod_resource/content/1/Sum%C3%A1rio%20ABIEC%202017.pdf>. Acesso em: 30 de set. de 2020.

Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes (ABIEC). Série histórica de exportação de carne bovina. Disponível em: http://abiec.com.br/exportacoes/. Acesso em: 10 de mar. de 2021.

AGROLINK . Disponível em: https://www.agrolink.com.br/cotacoes/. Acesso em: 20 de jun. de 2020.

ANDRADE, M. S. C.; TIRYAKI, F. G. Econometria na Prática. Rio de Janeiro: Alta Books Editora, 2019.

CARIO, Silvio. Introdução à economia de empresas. Florianópolis: Departamento de Ciências da Administração/UFSC, 2008.

Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (CEPEA). AGROMENSAL – CEPEA/ESALQ (outubro 2012). Disponível em: https://cepea.esalq.usp.br/br/categoria/agromensal.aspx?mes=10&ano=2012. Acesso em 23 de mar. de 2021.

Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (CEPEA). AGROMENSAL – CEPEA/ESALQ (março de 2014). Disponível em: https://cepea.esalq.usp.br/br/categoria/agromensal.aspx?mes=4&ano=2014. Acesso em 23 de mar. de 2021.

Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (CEPEA). AGROMENSAL – CEPEA/ESALQ (junho de 2016). Disponível em: https://cepea.esalq.usp.br/br/categoria/agromensal.aspx?mes=6&ano=2016. Acesso em 23 de mar. de 2021.

Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (CEPEA). AGROMENSAL – CEPEA/ESALQ (dezembro de 2016). Disponível em: https://cepea.esalq.usp.br/br/categoria/agromensal.aspx?mes=12&ano=2016. Acesso em 23 de mar. de 2021.

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA). Qualidade da carne bovina. Disponível em: <https://www.embrapa.br/qualidade-da-carne/carne-bovina>. Acesso em: 29 de jul. de 2019.

GOMES, R. da C.; FEIJÓ, G. L. D.; CHIARI, L. Evolução e Qualidade da Pecuária Brasileira. EMBRAPA. Campo Grande, 24 de março de 2017. Disponível em: <https://www.embrapa.br/documents/10180/21470602/EvolucaoeQualidadePecuaria.pdf/64e8985a-5c7c-b83e-ba2d-168ffaa762ad>. Acesso em: 28 de set. de 2020.

HOFFMANN, R. Análise de regressão: uma introdução à econometria. Portal de Livros Abertos da USP, 2016. Disponível em: <https://www.esalq.usp.br/biblioteca/sites/default/files/Analise_Regress%C3%A3o.pdf>. Acesso em: 08 de jan. de 2021.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATISTICA (IBGE). Indicadores IBGE: estatística da produção pecuária. Disponível em: <https://biblioteca.ibge.gov.br/index.php/bibliotecacatalogo?view=detalhes&id=72380>Acesso em: 02 de out. de 2020.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATISTICA (IBGE). Projeção da População. Disponível em: <https://www.ibge.gov.br/estatisticas/sociais/populacao.html>. Acesso em: 30 de jul. de 2019.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATISTICA (IBGE). Sistema IBGE de Recuperação Automática – SIDRA. Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo. Disponível em: https://sidra.ibge.gov.br/tabela/1737. Acesso em: 10 de mar. de 2021C.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATISTICA (IBGE). Pesquisa Trimestral do Abate de Animais. Disponível em: https://sidra.ibge.gov.br/tabela/1092. Acesso em: 10 de mar. de 2021E.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATISTICA (IBGE). Painel de Indicadores. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/indicadores. Acesso em: 10 de mar. de 2021D.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATISTICA (IBGE). População residente das Unidades da Federação e Grandes Regiões, enviada ao Tribunal de Contas da União - 2001-2020. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas/sociais/populacao/9103-estimativas-de-populacao.html?=&t=resultados. Acesso em: 10 de mar. de 2021A.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATISTICA (IBGE). Pesquisa Orçamento Familiar - POF. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas/sociais/educacao/9050-pesquisa-de-orcamentos-familiares.html?=&t=o-que-e. Acesso em: 10 de mar. de 2021B.

MARGARIDO, M. A.; SHIKIDA, P. F. A.; CALVO, J. C. A. Análise da elasticidade da transmissão dos preços internacionais do açúcar para os preços no Brasil: uma aplicação do Modelo Estrutural. Redes - Santa Cruz do Sul: Universidade de Santa Cruz do Sul, v. 23, n.1, janeiro-abril, 2018.

MARQUES, P.V.; MELLO, P. C. Mercados Futuros e de Opções Agropecuárias. Piracicaba, S.P., Departamento de Economia, Administração e Sociologia da Esalq/USP, 2006, Série Didática nº D-129.

MENDES, J. T. G; PADILHA JUNIOR, J. B. Agronegócio: uma abordagem econômica, Editora Pearson, São Paulo, 5º reimpressão, 2013. 365 p.

MENDES, C. M.; TREDEZINI, C. A. de O.; BORGES, F. T. de M.; FAGUNDES, M. B. B. Introdução à economia– 3 ed. rev. amp. Florianópolis : Departamento de Ciências da Administração / UFSC; [Brasília] : CAPES : UAB, 2015. Disponível em: <https://educapes.capes.gov.br/bitstream/capes/401353/1/introducao_a_economia-3ed-miolo-online-atualizado.pdf>. Acesso em: 25 de jan. de 2021.

MUELLER, C. O ciclo do gado e as tentativas governamentais de controle do preço da carne. Estudos Econômicos, São Paulo, V. 17, N. 3, p.435-456, set.- dez, 1987.

NETO, O.; SOARES, P. As fazendas de confinamento na reestruturação produtiva da pecuária de corte em Goiás. Sociedade e Território, Natal, vol. 27. Edição Especial I – XXII ENGA. p. 168-188, set. 2015.

PEDREIRA, A.; MONTEIRO, A. Recursos estratégicos e competitividade das propriedades rurais: um estudo da bovinocultura de corte no estado da Bahia. Gramado – RS, mai. de 2015. Disponível em: < https://ifbae.s3.eu-west-3.amazonaws.com/file/congres/2015_B131.pdf>. Acesso em: 16 de dez. de 2020.

ROTAS BRASIL. Disponível em: < http://rotasbrasil.com.br/?aviso=true>. Acesso em 06 de jan. de 2021.

SANCHES, A. L. R.; BARROS, G. S. de C.; ALVES, L. R. A. Contrato futuro de base de preços de milho no Brasil: evidências empíricas de transmissão assimétrica entre as regiões. SOBER- Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural. Campinas – SP, 29 de julho a 01 de agosto de 2018.

SCHUNTZEMBERGER, A. M. S. Análise do comportamento dos preços do boi gordo na pecuária de corte paranaense: período 1994-2009. 2010. 85f. Dissertação (Mestrado) – Setor de Ciências Agrárias, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, PR.

SOUZA, F. O mercado da carne bovina no Brasil. Rev. Acad., Ciênc. Agrár. Ambient., Curitiba, v. 6, n. 3, p. 427-434, jul./set. 2008. Disponível em:<https://periodicos.pucpr.br/index.php/cienciaanimal/article/view/10640/10037>. Acesso em: 19 de set. de 2019.

SOUZA, K. Especificidades da distribuição da carne bovina. Brasília- DF, dez. de 2015. Disponível em: <https://bdm.unb.br/bitstream/10483/13840/1/2015_KarenSantosdeSousa.pdf>. Acesso em: 05 de jan. de 2021.

URSO, Fabiana. A cadeia da carne bovina no Brasil: uma análise de poder de mercado e teoria da informação. / Fabiana Salgueiro Perobelli Urso – 2007. Disponível em: <http://bibliotecadigital.fgv.br/dspace/bitstream/handle/10438/1771/FabianaSalgueiroPerobelliUrso13072007.pdf?sequence=3&isAllowed=y>. Acesso em: 11 de nov. de 2020.

VASCONCELLOS, M.; GARCIA, M. Fundamentos de economia. 5. ed. – São Paulo : Saraiva, 2014.

VICTER, F. A gestão da bovinocultura no município de Paragominas-Pará-Brasil. Lisboa, 2017. Disponível em: < https://recil.grupolusofona.pt/jspui/bitstream/10437/10393/1/DISSERTA%c3%87AO%20VICTER%20CORRIGIDA%201%20pos%20defesa%20%281%29.pdf>. Acesso em: 13 de nov. de 2020.

XAVIER, Marcelo. A configuração da cadeia produtiva da carne bovina na região norte do estado do Mato Grosso: um estudo das perspectivas econômicas para os bovinocultores de corte. Porto Alegre, RS. Abril de 2004. Disponível em: <https://lume.ufrgs.br/handle/10183/6820>. Acesso em: 11 de nov. de 2020.

Downloads

Publicado

2023-05-12

Como Citar

Fernandes, T. F., dos Santos, P. D. J. A., Marjotta-Maistro, M. C., & Montebello, A. E. S. (2023). Mercado interno brasileiro de carne bovina (2011-2019). Revista De Gestão E Secretariado, 14(5), 7745–7764. https://doi.org/10.7769/gesec.v14i5.2149