Eficácia em ouvidorias públicas: IEOuv – uma proposta de indicador

Autores

DOI:

https://doi.org/10.7769/gesec.v14i5.2120

Palavras-chave:

Indicador, Eficácia, Controle Social, Ouvidoria Pública

Resumo

A necessária evolução da administração pública no Brasil trouxe consigo novas práticas de gestão para viabilizar a consecução dos anseios da sociedade. A participação social tornou-se imperativo, sendo assim, cabe ao governo permitir a efetivação do controle social. Neste cenário, as ouvidorias surgem como ferramenta para oportunizar à participação da sociedade na res publica. O objetivo desta pesquisa, baseado em uma revisão sistemática da literatura e análise documental, é identificar na literatura quais os elementos que devem compor um indicador de eficácia para uma ouvidoria pública à luz da administração pública gerencial. A análise dos resultados revelou elementos que poderiam compor um indicador de eficácia para ouvidorias públicas, considerando sua razão de ser. Destacam-se, dessa forma: mensurar a resolutividade das manifestações cadastradas, mensurar o índice de satisfação dos usuários que registram as manifestações e mensurar a celeridade da atuação da ouvidoria. A contribuição pretendida por esse estudo é de servir como guia de recomendação para criação de indicadores de eficácia em uma ouvidoria pública, assim como sumarizar o conceito de eficácia e indicador de eficácia em âmbito público à luz da administração pública gerencial. Novas oportunidades de pesquisa são sugeridas, ampliando a base para revisão de literatura, bem como aplicando um indicador de eficácia em uma ouvidoria pública para avaliar se o indicador estabelecido contribuiu para a missão da organização, identificando o impacto dessa implementação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALMEIDA, D.C.R.de. Os desafios da efetividade e o estatuto jurídico da participação: a Política Nacional de Participação Social. Sociedade e Estado, Brasília, v. 32, n. 3, p. 649-680, 2017. DOI: https://doi.org/10.1590/s0102-69922017.3203005

BRASIL. Lei nº 13.460 (2017). Brasília, DF: Senado Federal. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2017/lei/l13460.htm>. Acesso em: 22 mar. 2022.

BRESSER-PEREIRA, L. C. Da administração pública burocrática à gerencial. Revista do Serviço Público, v. 120, n. 1, Jan-Abr, 1996.

BRESSER-PEREIRA, L. C. O modelo estrutural de gerência pública. Revista de Administração Pública, v. 42, n. 2, p. 391-410, 2008. DOI: https://doi.org/10.1590/S0034-76122008000200009

BOTELHO, L. L. R.; CUNHA, C. C. A.; MACEDO, M. O método da revisão integrativa nos estudos organizacionais. Revista Gestão e Sociedade, v. 5, n. 11, p. 121-136, mai/ago, 2011. DOI: https://doi.org/10.21171/ges.v5i11.1220

FADEL, M. A. V.; REGIS FILHO, G. I. Percepção da qualidade em serviços públicos de saúde: um estudo de caso. Revista de Administração Pública, v. 43, p. 7-22, 2009. DOI: https://doi.org/10.1590/S0034-76122009000100002

FERNANDES, A. Metodologia de avaliação da eficácia organizacional para o Ensino Superior. Revista Portuguesa e Brasileira de Gestão, v. 7, n. 1, p. 77-87, 2008.

FILGUEIRAS, F. Indo além do gerencial: a agenda da governança democrática e a mudança silenciada no Brasil. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 52, n. 1, p 71-88, Jan-fev, 2018. DOI: https://doi.org/10.1590/0034-7612161430

GANZELI, P. Reforma administrativa da secretaria estadual de educação de São Paulo (2011), programa ensino integral (2012): administração pública gerencial em processo. Revista Exitus. Santarém/PA, v. 9, n. 3, p. 33-58, jul/set, 2019. DOI: https://doi.org/10.24065/2237-9460.2019v9n3ID930

GOMES, M. E. A. C. A institucionalização do ombudsman no Brasil. Revista de Direito Administrativo, Rio de Janeiro, v. 167, p. 1-21, jan/mar, 1987.

GUZMÁN, C. A. El Logro del Value for Money en La Gestión Pública: Consideraciones en torno a los indicadores de eficiencia, eficacia y economia. Revista Contabilidade & Finanças – USP, n. 32, p. 99-110, 2003. DOI: https://doi.org/10.1590/S1519-70772003000200007

MIRANDA, L. C. M.; KEMPFER, M. Administração pública gerencial brasileira e os desafios para prosseguir na sua implementação. Revista do Direito Público, Londrina, v. 13, n. 3, p. 130-152, dez. 2018. DOI: https://doi.org/10.5433/1980-511X.2018v13n3p130

OLIVEIRA, R. A.; ZYCH, D. R.; OLIVEIRA, J.; MICHALOSKI, A. O. Desafios no uso de metodologias ágeis de gestão de projetos em órgãos públicos: um estudo de caso da receita estadual do Paraná. Revista de Gestão e Projetos, v.11, n. 2, 12-36. 2020. DOI: https://doi.org/10.5585/gep.v11i2.16522

OLIVEIRA, S. L. A.; ARAÚJO, F. R.; COSTA, M. T. P. Análise da atuação das ouvidorias públicas das instituições federais de ensino como instrumentos de participação social. Revista Interface. Ed. especial, p. 292-312, nov., 2020.

OLIVEIRA, A. da C. Participação social nos conselhos de políticas públicas na “era Bolsonaro”: o caso do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente. INTERSEÇÕES, Rio de Janeiro, v. 24, n. 1, p. 172-195, jun. 2022.

QUINTÃO, T. T.; CUNHA, E. S. M. Fala que eu te escuto: ouvidorias parlamentares e o seu potencial democrático. Revista de Sociologia e Política. v. 26, n. 66, p. 125-143, jun. 2018. DOI: https://doi.org/10.1590/1678-987318266606

QUINTÃO, T. T. Reflexões e dilemas sobre a ouvidoria pública no Brasil: uma análise das ouvidorias do Poder Executivo Federal. Revista do Serviço Público. Brasília, v. 70, n. 2, p. 297-324, abr/jun, 2018. DOI: https://doi.org/10.21874/rsp.v70i2.3382

SAMPAIO, C. A. C. A construção de um modelo de gestão que promove o desenvolvimento sustentável. Cadernos EBAPE.BR, v. 2, n. 3, p. 1-12, 2004. DOI: https://doi.org/10.1590/S1679-39512004000300004

SAMPAIO, R. F.; MANICI, M. C. Estudos de revisão sistemática: um guia para síntese criteriosa da evidência científica. Revista Brasileira de Fisioterapia. v. 11, n. 1, p. 83-89, jan/fev, 2007. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-35552007000100013

SANO, H.; MONTENEGRO, M. J. F. Desenvolvimento em Questão. Editora Unijuí, ano 11, n. 22, jan-abr, 2013. DOI: https://doi.org/10.21527/2237-6453.2013.22.35-61

SANTOS, A. R.; COSTA, J. I. P.; BURGER, F.; TEZZA, R. O papel da ouvidoria pública: uma análise a partir das dimensões funcional, gerencial e cidadã. Revista do Serviço Público. Brasília, v. 70, n. 4, p. 630-657, out/dez, 2019. DOI: https://doi.org/10.21874/rsp.v70i4.3200

SANTOS, M. G. F.; LIMA, W. A. S.; MENDES, V. L. P. S. Análise da utilização do “PAINEL RESOLVEU?” pelas ouvidorias públicas municipais brasileiras. Gestão Contemporânea, v. 11, n. 1, p. 153-182, jun. 2021.

SECCHI, L. Modelos organizacionais e reformas da administração pública. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 43, n. 2, p 347-369, mar/abr, 2009. DOI: https://doi.org/10.1590/S0034-76122009000200004

SILVA, T. S.; LIMA, A. A. T. F. C.; GOMIDE, C. S. Inovação na administração pública: um meta estudo dos anais do ENANPAD. Revista Capital Científico. v. 15, n. 1, jan/mar, 2017. DOI: https://doi.org/10.5935/2177-4153.20170007

SILVA, J. I. A. O.; OLIVEIRA, T. F. S. de. Ouvidoria e gestão pública: uma relação necessária. HOLOS, v. 36, n. 5, e8459, 2020. DOI: https://doi.org/10.15628/holos.2020.8459

TÁCITO, C. Ombudsman – O Defensor do povo. Revista de Direito Administrativo, v. 171, p. 15-26, 1988.

Downloads

Publicado

2023-05-10

Como Citar

Leal, L. C. C., de Moraes, I. C., & Correia Neto, J. da S. (2023). Eficácia em ouvidorias públicas: IEOuv – uma proposta de indicador. Revista De Gestão E Secretariado, 14(5), 7273–7293. https://doi.org/10.7769/gesec.v14i5.2120